Porque achamos a passagem a R$4,70 caro?

Foto: Felix Zucco / Agëncia RBS

Talvez porque a maioria de nós não recebeu um reajuste superior a 9% nos seus rendimentos em 2018. E aí começa a aflorar um sentimento de que R$ 4,70 é muito. E quando olhamos para outras cidades esta sensação, muitas vezes, passa para a indignação, particularmente se compararmos com Curitiba.

Porque aquela Capital tem um transporte público melhor e um preço menor de passagem?

A primeira palavra que vem à mente é planejamento. Para citar alguns exemplos: na década de 70 foram implantados os corredores exclusivos e as linhas circulares e, nos anos 1980, os terminais de integração, que permitem que o passageiro troque ônibus sem precisar pagar mais uma passagem. Ou seja, há 50 anos foram tomadas decisões que somente agora começam a ser discutidas e implementadas em Porto Alegre.

Alguém poderia perguntar: mas o que isto tem a ver com o preço da passagem? Explico: a diminuição dos congestionamentos com menos ônibus indo em direção ao centro da cidade e a velocidade possibilitada pelos corredores e vias em bom estado de circulação permitem economia de combustível e de manutenção, enquanto que a frequência e a pontualidade estimulam um número maior de cidadãos a utilizar este modal.

Mas mesmo com tudo isto o transporte de Curitiba ainda é subsidiado. Em 2019, para não chegar aos R$ 5,00 na Capital e R$ 6,00 na Região Metropolitana, o Município subsidiará com R$ 50 milhões e o Estado do Paraná com R$ 150 milhões. Já em São Paulo, devem ser aplicados R$ 2,6 bilhões (isto mesmo bilhões) e, ainda, há exemplos na Europa e nos Estados Unidos. São locais onde o subsídio é visto como investimento no transporte público.

Sabemos que nem nossa Capital tampouco nosso Estado tem recursos para bancar valores neste nível, por isso entendemos que é necessária uma revisão do nosso modelo de mobilidade urbana, com ênfase no transporte coletivo. As discussões dos planos Diretor e de Mobilidade Urbana são belas oportunidades para isto e não podemos desperdiçá-las!

*Artigo publicado em GauchaZH em 07/03/2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s